Disponibilidade de Área: como funciona este processo?

Após 4 anos, a Agência Nacional de Mineração (ANM) publicou o edital que reabre a disponibilidade de áreas no país. Entenda um pouco sobre os editais e como analisar a situação de uma área. Você sabia que de início foram ofertadas 502 áreas com a finalidade de pesquisa mineral?   

O que é “disponibilidade de área”?

Antes de tudo, disponibilidade de área é um procedimento conduzido pela Agência Nacional de Mineração que visa selecionar interessados em dar prosseguimento a projetos minerários já autorizados a terceiros, mas que retornaram à carteira da ANM por algum motivo. Nesse sentido eles podem ser: indeferimentos de requerimentos, caducidade de títulos, abandono da jazida ou mina, desistência e renúncia.

Disponibilidade de Área x Área Livre

A princípio existe uma diferença entre uma área colocada em disponibilidade e a publicação do edital de disponibilidade.

Mas você sabe o que isso quer dizer? Se uma área está em disponibilidade, não significa dizer que esta área está livre. É um pouco confuso né?

Todavia, a área que foi colocada em disponibilidade e que não teve edital publicado continua aguardando a publicação do edital.

Por outro lado, a área que foi colocada em disponibilidade e teve o edital publicado segue algumas normas. A área está livre se:Não houver nenhum habilitado;

Se teve algum habilitado e houve desistência de todos dentro de 60 dias.

Além disso, a área será julgada pelas regras antigas se:

Se teve algum habilitado e não houve desistências dentro do prazo de 60 dias, e

Se teve algum habilitado e houve desistência de algum (ns) depois dos 60 dias.

Anteriormente, até 2018, os interessados eram selecionados com base na qualidade do projeto técnico. A partir daquele ano iniciou um novo modelo de seleção. As áreas devem ser publicadas previamente pela ANM no prazo de 60 dias e, se houver dois ou mais interessados, é submetido um leilão eletrônico a ser decidido de acordo com o maior valor ofertado.

Como analisar as áreas que já tiveram Alvarás de Pesquisa?

Para analisar essas áreas é preciso ficar atento se o Alvará foi caducado ou não.

Por exemplo, se o Alvará foi caducado por não pagamento da TAH (Taxa Anual por Hectare), a área segue em disponibilidade. Se o Alvará não foi caducado, mas o Relatório Final de Pesquisa não foi apresentado no prazo, e não houve dilatação de prazo, é necessário observar a data de vencimento do Alvará.

Se o Alvará venceu antes de 26/07/2017 ou entre 29/11/2017 e 04/12/18 a área está livre.  

Como analisar áreas que já tiveram Registro de Licença?

É um pouco mais simples analisar estes casos, você precisa se atentar às datas.

Se uma área tinha o título de registro de licença vigente e o responsável não solicitou prorrogação no prazo, e isso aconteceu antes de 26/07/2017, a área está livre. Mas se isso aconteceu a partir de 26/07/2017 a área vai para disponibilidade.


Esse artigo te ajudou? Tem alguma dúvida? Estaremos disponíveis no WhatsApp para saná-las ou deixe seu comentário para que possamos melhorar e trazer sempre o melhor conteúdo para vocês.

Somos uma empresa de Consultoria na Mineração e Petróleo, focada em pequenos e médios negócios. Nosso grande objetivo é desenvolver soluções no setor da mineração e petróleo, realizando projetos de impacto.

2 comentários em “Disponibilidade de Área: como funciona este processo?

  1. João Cláudio Manente Responder

    E áreas que têm Requerimento de Autorização de Pesquisa, em fase de direito de requerer a lavra, tem o alvará de pesquisa com data de publicação, mas não tem data de vencimento informada nos dados básicos do processo? Qual a situação dessa área?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *