Mármores x granitos: saiba as particularidades de cada um

Neste artigo você irá encontrar informações enriquecedoras para seu conhecimento sobre essas interessantes rochas, desde utilidades, características geológicas, forma de extração e até mesmo curiosidades.

Aposto que você já deve ter ouvido falar sobre granitos e mármores. Não é preciso ser um profundo conhecedor do setor mineral para conhecer algumas das características dessas rochas, principalmente sua utilização no cotidiano.

Entrando nas definições, podemos definir o granito como uma rocha ígnea intrusiva, ou seja, uma rocha que se cristalizou no interior da crosta terrestre, já o mármore é uma rocha metamórfica originada do calcário quando o mesmo é exposto a altas temperaturas e pressão baixa a moderada.

Embora a história não seja precisa, temos registro de uso dos mármores e granitos há aproximadamente 5 mil anos atrás. Os estudos levam a crer que seu uso tenha começado no antigo Egito, onde eram utilizados na construção de túmulos faraônicos e monumentos, posteriormente os registros históricos indicam o uso por parte dos gregos e romanos em suas respectivas arquiteturas.

Colunas de mármore do Corinthian-estilo bem preservado no templo de Diana em um dia ensolarado em Merida Fundado pela Roma antiga na Espanha ocidental.
Ruínas de uma coluna de granito
Espaço onde se extraiu um bloco de granito em Asuán, Egito

O granito e o mármore são rochas com muitas particularidades e possui algumas curiosidades. Você sabia que o mármore pode ser utilizado como suplemento? Isso mesmo o mármore é rico em cálcio, por isso pode ser moído e usado como suplemento em fazendas para alimentar animais como galinhas e vacas.

Já sobre o granito, pouca gente sabe que o mesmo é radioativo assim como muitos outros minerais naturais, o material contém traços de urânio, componente radioativo, porém algumas peças de granito contêm mais que a quantia comum de urânio. Assim dependendo da quantidade, o material pode causar câncer, mas no uso doméstico o material não causa risco ao usuário.

Quais as formas de utilização destas rochas?

Como citado anteriormente, tanto o granito quanto o mármore tem sido muito explorado pelo homem há aproximadamente 5 mil anos e até hoje é essencial, principalmente em obras arquitetônicas e usos domésticos.

Utilidades do mármore

 Sem sombra de dúvida a principal forma de utilização dos mármores é como “pedra” ornamental, muitos arquitetos optam por utilizar os mármores para decorações, por trazer um ar mais sofisticado e elegante, alguns exemplos de aplicações no ambiente doméstico são, pias, mesas, bancadas, pisos, entre outros.

Aplicação de mármore em uma bancada de cozinha

Uma vertente da utilização do mármore são os objetos ornamentais e esculturas, como a famosa estátua Vênus de Milo que foi esculpida em mármores no século II a.C. ou a escultura da Virgem Maria com um véu foi produzida em mármore de Carrara, em Roma, pelo famoso escultor italiano Giovanni Strazza, em meados do século XIX. 

Vênus de Milo e a Virgem Maria respectivamente

Utilidades do granito

O granito compartilha de semelhanças com o mármore em sua utilização. Basicamente ele tem como principal forma de utilização revestimento de pisos, paredes e fachadas, além de ser utilizados na confecção de bancadas, mesas, pisos, pias. Assim como o mármore, o granito também é utilizado para esculpir esculturas.

Esculturas de granito a céu aberto no Parque Nilo Coelho no agreste pernambucano.
Bancada de granito

Principais diferenças entre o granito e o mármore

Uma das maiores questões quando falamos sobre granitos e mármores é saber as diferenças que uma possuem em relação a outra, já que por muitas vezes elas são confundidas entre si, por serem utilizadas praticamente da mesma forma.

A principal diferença que essas rochas possuem é quanto a sua formação, enquanto o granito é uma rocha ígnea intrusiva, constituída de quartzo, feldspato e micaminerais, e o mármore é uma rocha metamórfica originada do calcário.

Na utilização doméstica dessas rochas temos uma diferença importante a qual devemos nos atentar. O mármore possui algumas desvantagens em relação ao granito, dentre eles o fato de possuir algumas porosidades, por isso não se recomenda a utilização do mesmo em área de umidade, além disso o granito tem uma dureza e resistência maior, o que impede por exemplo de que na utilização de uma bancada ele sofra arranhões ou quebre com mais facilidade.

Hoje em dia já existem impermeabilizadores que podem ser aplicados no mármore fazendo com que essas diferenças não sejam perceptíveis.

Por fim, existe a diferença no valor das rochas, esse fator vai depender muito da região em que você está procurando a mesma, pois irá depender do fator de disponibilidade do material. No Brasil a produção de mármore é menor, portanto o preço desse tipo de pedra é mais elevado do que o granito.

Características geológicas presentes

A geologia de uma rocha é a sua parte mais importante, nela podemos obter todas as informações necessárias sobre a mesma e a partir daí saberíamos onde utilizá-la, finalidade, vantagens e desvantagens. Podemos afirmar que todas as informações sobre uma determinada rocha está presente nas suas características geológicas.

Mármore: Como já dito, é uma rocha metamórfica, originada do calcário. Sua mineralogia possui calcita, dolomita, quartzo, pirita, anfibólios e díopsidio. Composição química é definida como rocha carbonática, possuem uma estrutura maciça. Originada de um metamorfismo de contato ou regional, sua cor é na grande maioria preferencialmente clara. Rocha que possui baixo grau de dureza.

Granito: Uma rocha ígnea intrusiva, com cristalização subterrânea, composta essencialmente pelo quartzo, mica e feldspato, hornblenda, zircão e outros minerais. Sua composição química é predominantemente formada por sílica. As cores de granito mais encontradas na natureza são as de tons cinzento e avermelhado, porém podem ser encontrados em diversas cores. Rocha que possui alto grau de dureza.

E como são extraídas essas rochas?

No processo de extração do granito e mármore são extremamente necessários equipamentos apropriados e equipe profissional bem preparada, já que a atividade é delicada e requer segurança de pessoal e preservação das rochas no momento da extração.

Na extração, a rocha é fatiada para obter blocos enormes, nesse processo de fatiar a rocha diversas ferramentas são utilizadas dentre elas: máquina de fio diamantado, hidrobags, marteletes, brocas diamantadas, dentre outros. Na primeira parte da extração é retirado um pedaço maior chamado de bancada ou prancha, seu tamanho varia aproximadamente de 12 metros de comprimento, 6 metros de altura e 1,80 de largura, após a retirada dessa banca um profissional treinado realiza a analise pra demarcar essa rocha em várias área para um novo corte de blocos menores, possuindo 3 metros de comprimento, 1,8 metros de altura e 1,8 metros de altura. Para fazer a movimentação desses blocos dentro da jazida, são utilizados grandes tratores como máquinas pá carregadeiras.

O próximo passo com os blocos já armazenados em grandes caminhões, se dirigem para a indústria, onde os blocos serão transformados em chapas. As chapas podem ser produzidas nos seguintes acabamentos: Polido (com brilho), levigado (sem brilho) e escovado (sem brilho). Após esse processo o granito e mármore estarão prontos para ser comercializado. Os projetos de pias, escadas, balcões, colunas, entre outros, são executados pela marmoraria.

Concluindo…

As duas rochas tem suas particularidades, vantagens e desvantagens e a escolha de qual utilizar fica a critério do comprador que irá decidir qual atenderá melhor a sua necessidade.

Leia também: Registro de extração: o que é, quem pode requerer e como requerer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *