Peneiramento na Mineração: o que é, para que serve, quais são os tipos que existem

Imagino que você já deve ter se perguntado: como é que as empresas fazem para separar dois minérios e/ou minerais, depois que eles saem da moagem, de acordo com a granulometria desejada?

Bom, a resposta é simples: PENEIRAMENTO!

Talvez você ainda deva estar pensando: será que para cada tipo de minério existe uma peneira apropriada?

Se você quiser saber a respostas, eu te convido a ler esse artigo e conhecer um pouco mais sobre o universo do na mineração, garanto que você não se arrependerá!

Vamos comigo?

O que é e para o que serve o peneiramento na mineração?

Antes de mais nada, nós precisamos saber o que é peneiramento. O peneiramento é um processo que as mineradoras utilizam para classificar e separar os materiais processados pelo tamanho de suas partículas: os de granulometria fina são “liberados”, passam pela malha das telas e seguem para as seguintes etapas da planta de beneficiamento. Já os de granulometria mais grossas ficam retidos na malha das telas e retornam para os processos de cominuição que podem ser britadores ou moinhos para serem novamente diminuídos. E então, quando passarem pelo peneiramento tem seu grau de liberação mais acentuado.

Figura 1: Peneira. Fonte: Reprodução.

Quais tipos de peneiramento existe?

A princípio, no processo de beneficiamento podemos destacar dois tipos de peneiramentos: úmido e seco.

Peneiramento a úmido: como o próprio nome já sugere, nesse tipo de peneiramento adicionamos água ao material que será colocado nas telas, com o propósito de facilitar a passagem dos finos através da tela de peneiramento;

Peneiramento a seco: nesse segundo tipo de peneiramento, estamos nos referindo aos materiais com pouca umidade natural ou que foram secados previamente e, consequentemente, constituído de frações granulométricas de até 6mm. Entretanto só é possível peneirar a seco com eficiência razoável em frações de até 1,7mm.

Você sabia que o nome do material retido na tela da peneira é denominado oversize e o que passa é undersize? Anota aí essa informação e na próxima conversa com seus colegas, você já pode mencionar esse termo técnico!

Quais são os tipos de peneiras que existem?

Como já sabemos, os materiais saem dos moinhos de moagem com granulometrias diferentes, e para podermos separar por ordem de granulometria, contamos com o auxílio de peneiras. Atualmente existem 4 tipos de peneiras, onde cada peneira tem uma finalidade, a seguir você conhecerá um pouco mais sobre elas:

Peneira Granulométrica Estacionária ou Estática: são as mais simples, mais robustas e econômicas, sendo de uso restrito para material grosseiro e operação descontínua. Portanto, é um equipamento utilizado para a remoção de partículas em suspensão nos efluentes industriais com tamanho variando de 0,25 a 1,5mm além disso, essa peneira tem uma inclinação de 20° a 50°. Não necessita de retro lavagem para limpeza da tela, uma vez que os sólidos são removidos pelo próprio fluxo do líquido.

Figura 2: Peneira granulométrica estacionária. Fonte: Reprodução.

Peneira Granulométrica Rotativa: mais conhecida como tambor rotativo, é um equipamento utilizado para a remoção de partículas em suspensão presente nos efluentes industriais, com tamanhos variando entre 0,25 mm e 1,5 mm, e tem como inclinação 15° a 10°, ademais, a peneira rotativa tem baixo custo e eficiência. A limpeza da tela é feita por meio de uma bomba que é alimentada com água limpa e duas tubulações com bicos lavadores que limpam a tela pelo lado interno e externo. Assim também, tem uma maior capacidade de filtração com menor área de tela.

Figura 3: Peneira granulométrica rotativa. Fonte:Reprodução.

Peneira granulométrica agitada: ela provoca a movimentação das partículas sobre a superfície de peneiramento, tendo como inclinação 15° a 20°. Essa peneira apresenta algumas desvantagens, sendo algumas delas:

  • Tem um alto custo de manutenção e de estrutura;
  • Geração de pó, porque a agitação provoca a movimentação das partículas sobre a superfície das peneiras.

Embora esse tipo de peneira possa ser horizontal, geralmente elas são inclinadas para que o material seja transportado ao mesmo tempo em que ocorre o peneiramento. A eficiência é relativamente alta para materiais maiores que 1cm, mas é baixa para finos.  Na mineração é dito que, uma peneira entupida com partículas sólidas, está cega.

Figura 4: Peneira granulométrica agitada. Fonte:Reprodução.

Peneira granulométrica vibratória: possui alta capacidade e eficiência, principalmente para materiais finos, tem uma inclinação de 15° a 20°. Existem dois tipos mais comuns:

  • Estrutura vibrada: a estrutura é submetida a vibração mecânica por meio de excêntricos ou eixos desbalanceados ou vibração eletromagnética com solenoides. A maior diferença entre as peneiras agitadas e as vibratórias está na frequência e a menor amplitude de vibração. São ligeiramente inclinadas (10º para operação a úmido e 20º para operação a seco).
  • Tela vibrada: elas possuem eletroímãs que atuam diretamente sobre a tela, tem uma frequência bastante alta e a amplitude é bem pequena. Fazem o peneiramento de finos, não sendo recomendadas para trabalho pesado, entretanto, apresenta algumas desvantagens, como o desgaste excessivo da tela e ruído. Estas peneiras podem trabalhar em meio úmido, mas elas não apresentam grande potencial de separação neste caso. As mesmas são responsáveis por recuperar os produtos capaz de separá-los em até cinco frações, aumentando assim a precisão e eficiência do peneiramento.

Por fim, a peneira vibratória está relacionada com a classificação, separação por diferentes tamanhos e seleção de materiais em misturas. Os formatos de uma peneira vibratória variam elas podem ser em forma de cesta, cilíndricas, planas, curvadas ou de formato irregular. O tamanho do equipamento varia de acordo com o peso e as dimensões dos materiais que serão trabalhados.

Figura 5: Peneira granulométrica vibratória. Fonte: Reprodução.

Qual é a melhor tela para o peneiramento?

A alguns minutos atrás você conheceu os tipos de peneiras que existem, entretanto, para que essas peneiras sejam eficientes na mineração, é preciso tomar cuidado com outro elemento, suas telas.

Certo, mas o que isso quer dizer? Quer dizer que as telas devem ser feitas com um material resistente, a propósito, devem possuir medidas adequadas para a atividade de separação de minérios. Ou seja, somente com uma tela de boa qualidade é possível obter um melhor aproveitamento do processo. Além disso, evita quaisquer transtornos causados por uma separação e classificação mal realizada.

Para cada aplicação existe uma tela diferente. A muito tempo atrás, todas as peneiras utilizavam telas metálicas, entretanto, hoje em dia com o avanço da tecnologia e dos estudos, temos novos tipos de telas, como a de borracha e poliuretano, essas telas tem uma vida útil de quatro a seis vezes maior do que os componentes de aço. Outra vantagem dos novos materiais é sua flexibilidade, evitando o entupimento das peneiras.

Normalmente, as telas de poliuretano e de borracha têm dimensões menores, são modulares e leves. Em função disso, permitem um manuseio mais fácil.

Como se mede o desempenho de uma peneira?

Medimos o desempenho através de duas variáveis: capacidade (toneladas por hora, por exemplo) e eficiência, que varia, quase sempre, inversamente à carga. Geralmente, quanto maior o volume de alimentação menor será a eficiência. Uma eficiência comercial pode variar entre 15% e 95%, mas o percentual geralmente aceito está entre 80% e 90%.

A importância da manutenção

Já falamos bastante sobre como funciona o peneiramento, quais tipos existem, entre outras coisas, mas um item muito importante é a manutenção dos seus equipamentos.

Qualquer som diferente deve ser fonte de inspeção em campo, além disso, outro ponto de atenção são os mecanismos de vibração, que podem ser mecânicos, pneumáticos ou eletromagnéticos. Ações simples como a lubrificação correta, de acordo com o manual do fabricante, evitam problemas.

As telas e outros componentes devem ser rotineiramente observados. E essas observações garantem uma longevidade no seu equipamento e evitam prejuízos financeiros, pois ter sua produção interrompida porque sua peneira quebrou não é uma coisa lá muito legal.


E aí, gostou de saber mais sobre o funcionamento do peneiramento na mineração? Restou alguma dúvida? Deixe seu comentário e nos acompanhe nas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *