Os 10 principais riscos e oportunidades de negócios para mineração e metais em 2023

Como vem fazendo anualmente, a EY (Ernst & Young) lançou Os 10 principais riscos e oportunidades de negócios para mineração e metais, um relatório que contou com uma pesquisa entre vários executivos do setor no mundo inteiro para obter as prioridades do mundo da mineração para o ano de 2023.

Nesse artigo iremos trazer os principais pontos desses riscos e oportunidades listados.

Principais fatores que influenciam na lista

Os últimos meses testemunharam grandes reviravoltas e mudanças no mundo. Guerra na Ucrânia, eventos climáticos, novos governos nas principais regiões de mineração e mudanças nas relações em outras estão impactando as empresas de mineração e metais do mundo. Esses fatores externos continuarão a impulsionar uma mudança nos riscos e oportunidades do setor, à medida que a pressão das partes interessadas e do mercado de capitais responsabiliza as mineradoras em várias frentes. Não é uma surpresa que os principais riscos e oportunidades do relatório da EY sejam ESG, geopolítica e mudanças climáticas.

Fonte: Ernst & Young

Governança ambiental, social e corporativa 

Governança ambiental, social e corporativa ou ESG (do termo em inglês Environmental, social, and corporate governance), refere-se a dados específicos projetados para serem usados por investidores para avaliar o risco material que a organização está assumindo com base nas externalidades que está gerando, visando avaliar se uma empresa é socialmente consciente, sustentável e corretamente gerenciada.

O ESG continua sendo o risco e a oportunidade número um em mineração e metais, de acordo com os executivos entrevistados pela EY. Em todo o setor, é notado mais evidências de que as mineradoras estão integrando os fatores ESG nas estratégias corporativas, na tomada de decisões e nos relatórios, à medida que o assunto se torna uma prioridade para todas as partes interessadas.

Geopolítica

Não é de surpreender que a geopolítica seja o segundo risco comercial para as empresas de mineração e metais que caminham para um 2023 incerto. A guerra na Ucrânia teve um impacto no comércio de minerais e metais, ao mesmo tempo em que aumentou a concorrência entre a China e os Estados Unidos e governos eleitos nos principais mercados de mineração estão afetando os planos de longo prazo dos mineradores. As empresas estão sob pressão para avaliar rapidamente como diferentes alianças, fluxos comerciais interrompidos, novos governos e impostos afetarão as decisões de negócios. Além disso, à medida que a interação entre ESG e geopolítica aumenta, também aumenta a quantidade de regulamentação que o setor precisa cumprir.

À medida que os mineradores consideram as decisões estratégicas, eles devem avaliar as implicações de várias tendências geopolíticas.

Mudanças climáticas

Muitas empresas do setor de mineração e metais se comprometeram com metas de descarbonização altamente ambiciosas, mas o ano de 2023 revelará se o setor está na trajetória para zerar as emissões líquidas de gases de efeito estufa.

Cinquenta por cento dos entrevistados pela EY disseram esperar que os investidores os pressionem para acelerar a descarbonização. Um executivo sinalizou o desafio de “aumento do risco do investidor em relação ao retorno do investimento em grandes investimentos relacionados à transição energética sem progresso”.

Para setores com o uso tão intensivo de energia como a mineração, os créditos de carbono serão outra ferramenta essencial na estratégia de descarbonização, agregando mais flexibilidade, controle e potencial para obter maiores economias de custos. Mais mineradoras estão priorizando créditos de carbono por meio de investimentos em energia renovável, inclusive em locais de minas.

Licença para operar

A evolução das expectativas em torno do impacto do setor nas comunidades e no meio ambiente torna a obtenção e manutenção de uma licença para operar uma questão cada vez mais complexa de se lidar. Um executivo da área comparou o envolvimento da comunidade a “uma grande tigela de espaguete – e tentar desvendar isso é caótico e desafiador”. Ter uma visão de toda a sociedade é fundamental

Os mineradores enfrentam novas expectativas, incluindo contribuir para a qualidade de vida e proteger o patrimônio cultural. As organizações devem ir além do que é exigido por lei e comprometer-se genuinamente a promover a verdade e a reconciliação.

Produtividade e custos

Custos e produtividade ganharam prioridade em relação ao último ano, já que a inflação afeta os custos das operações de mineração e pode potencialmente atrasar os planos de crescimento.

Quaisquer exercícios de redução de custos precisam ser focados no valor e devem evitar impactar os compromissos ESG.

Com os custos que provavelmente permanecerão altos, abordagens mais inovadoras para gerenciar a variabilidade, incluindo modelagem aprimorada, podem gerar ganhos de produtividade genuínos. O gerenciamento de custos precisa ser feito com foco no valor de longo prazo, bem como nos ganhos de curto prazo. As medidas sustentáveis de redução de custos incluem, por exemplo, mudar para energia renovável e incentivar a inovação para reduzir custos a longo prazo.

Cadeia de suprimentos

Problemas na cadeia de suprimentos é uma nova entrada no radar de riscos e oportunidades. Em todo o mundo, todos os setores foram duramente atingidos pelo impacto da pandemia do COVID-19, a guerra na Ucrânia, o aumento dos preços da energia, os problemas de retenção da força de trabalho e os desafios de logística e frete. Os preços estão em alta e os atrasos nas matérias-primas são longos, aumentando o custo e a complexidade de operar uma organização de mineração e metais.

Muitos desses pontos apenas intensificaram os desafios da cadeia de suprimentos que vêm se formando há algum tempo. Com a disrupção que provavelmente veio para ficar, as mineradoras que adaptam sua cadeia de suprimentos e colocam os relacionamentos no centro, podem encontrar novas oportunidades enquanto mitigam os riscos.

Força de trabalho

Duas forças estão tendo um impacto maior na força de trabalho no setor de mineração e metais agora mais do que em qualquer outro momento. Primeiro, a demanda sem precedentes por trabalhadores causando uma escassez global de profissionais habilitados. Em segundo lugar, a aposentadoria em massa ou a demissão de trabalhadores nos últimos meses deixou as mineradoras com dificuldades para substituí-los. Na Austrália por exemplo, o setor tem mais vagas agora do que em qualquer outro momento de sua história registrada.

Capital

O acesso ao capital em mineração e metais está cada vez mais vinculado ao desempenho ESG e licenças para operar, tornando mais importante que as mineradoras articulem seu compromisso e conquistas na criação de valor além do resultado. As empresas estão mantendo o foco na disciplina de capital, mas estão cada vez mais olhando para a alocação de capital para crescimento e transformação.

Mais investidores reconhecem a necessidade de investir na gestão de risco ESG, por meio de governança, estratégia e conformidade. O capital alocado para iniciativas relacionadas a ESG pode não apresentar retornos no curto prazo, podendo até representar dificuldades financeiras, mas tem potencial para agregar valor no longo prazo. Exemplos desses investimentos incluem novas tecnologias destinadas a prevenir eventos adversos (por exemplo, ruptura de barragens de rejeitos) e investimento em reabilitação progressiva e remediação de minas fechadas.

Inovação digital

A inovação digital agora tem uma prioridade menor em relação ao ano anterior, uma indicação de como a tecnologia se tornou parte integrante das atuais empresas de mineração e metalurgia. Apesar disso, muitas mineradoras ainda lutam para gerar valor real de seus investimentos digitais. Uma abordagem integrada da cadeia de valor pode ajudar as organizações a aumentar o retorno sobre o investimento e identificar mais oportunidades para encontrar soluções digitais para alguns dos maiores desafios das mineradoras, incluindo ESG, risco climático, produtividade e custos.

Novos modelos de negócios

Após 20 anos de transformação do setor, há menos mineradoras diversificadas, mantendo bases de ativos menores e focadas em um número reduzido de regiões e geografias. A cadeia de valor dessas empresas de mineração é geralmente centrada na produção de minerais, em vez de exploração primária e produção de metal. E apesar de vários conglomerados de mineração terem braços comerciais, eles parecem não estar mais próximos do cliente.

Os balanços melhoraram e os retornos aumentaram, principalmente para as principais empresas. No entanto, com a expectativa de aumento da demanda projetada para certas commodities e o foco crescente em torno da sustentabilidade, agora é a hora das mineradoras analisarem onde o valor ideal pode ser encontrado e redefinir seu modelo de negócios para capturar esse valor. As empresas que fizerem isso com sucesso terão seu modelo de negócios à prova de futuro para lidar melhor com interrupções e mudanças nas relações comerciais e, finalmente, obter vantagem competitiva.

A classificação de riscos e oportunidades revela que as empresas de mineração e metais enfrentam grandes disrupções e expectativas em rápida mudança que, juntas, podem afetar sua capacidade de criar valor sustentável. A mitigação dos riscos e o aproveitamento das oportunidades exigem que as empresas façam mudanças significativas em seus negócios, por meio de uma abordagem proativa e diversificada, integrada à estratégia e ao planejamento mais amplo. As mineradoras que fizerem isso com sucesso ganharão uma vantagem competitiva.


Esperamos que com este artigo você fique sabendo mais um pouco sobre o cenário das commodities em 2023. Nos acompanhe nas redes sociais e aprenda mais sobre a mineração e áreas relacionadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *