Usinas nucleares, matéria prima mineral e energética

Você provavelmente já ouviu falar de acidentes em usinas nucleares, como o que aconteceu em Chernobyl, não é mesmo?

Bom, caso ainda não conheça nada sobre, não se preocupe! Nesse artigo te contaremos todo o funcionamento de uma usina nuclear.

Já temos um artigo que fala sobre a descoberta, alguns acidentes marcantes e todos os minerais radioativos, sugerimos que faça a leitura dele também. Radioatividade: da descoberta aos dias atuais.

O que são usinas nucleares?

Então, de modo bem direto, usina nuclear é uma unidade industrial responsável pela produção de energia elétrica, só que diferente das outras formas de gerar eletricidade que já conhecemos, nas usinas nucleares a energia é obtida a partir das reações nucleares dos minerais radioativos.

Usina nuclear. Fonte: Reprodução.

Como funcionam?

Como é de se esperar, é necessário ter a presença de um mineral radioativo para que a usina funcione, correto? E para isso temos o Urânio, ele é o mineral mais utilizado para essa função.

Diante disso, temos um processo de três etapas para o seu funcionamento, são elas:

  1. O Urânio é colocado no vaso de pressão, onde ocorre a fissão nuclear (processo de quebra do núcleo de um átomo instável). Esse processo de fissão permite o aquecimento da água que passa pelo reator, gerando energia térmica.
  2. A próxima etapa é ainda relacionada com a primeira, já que a água que foi aquecida no primeiro sistema se torna vapor, e assim consegue movimentar a turbina de um gerador elétrico presente em seu sistema.
  3. Após tudo isso, o vapor de água que havia sido gerado é convertido em água novamente, por meio de um sistema de condensação, que é resfriado por meio de um sistema que bombeia água de um rio, lago ou do mar.

Esses três sistemas impedem que haja contato da água que passa pelo reator com as outras. E claro, depois de tudo isso a energia produzida chega às residências através das redes de energia elétrica.

Elementos de uma usina nuclear. Fonte: Eletrobras.

Energia nuclear, bom ou ruim?

Ao mesmo tempo em que a energia nuclear é uma alternativa interessante para a substituição de recursos como água (que fornece energia hidrelétrica), carvão, gás e até o petróleo, muito se discute sobre os seus benefícios e os riscos que estão ligados a sua utilização.

Dessa forma, listamos alguns dos principais itens positivos e negativos em relação a esse método energético.


Benefícios

– As usinas independem das condições climáticas, como chuvas ou ventos;

– A energia é limpa por não emitir gases de efeito estufa;

– A não utilização de combustíveis fósseis como petróleo e carvão;

– Abundância do Urânio;

– Economia, uma vez que 10g de urânio produz a mesma quantidade de energia equivalente a 700kg de Petróleo e 1.200 kg de carvão;

– Pequena área para construção da usina.

Malefícios

– O lixo radioativo precisa ser armazenado em locais seguros e isolados;

– Risco de acidentes nucleares graves;

– Investimento inicial numa usina é muito caro;

– Problemas ambientais aos ecossistemas aquáticos, pois a água aquecida que foi usada volta ao seu local de origem com a temperatura ainda elevada;

– Não é uma fonte renovável, pois o urânio precisa ser extraído para ser utilizado.

Minerais energéticos

Bom, como você já deve ter visto, existem diversos minerais com propriedades radioativas, no entanto, para a produção de energia nuclear somente dois elementos são amplamente utilizados:

– O Urânio, que é o combustível nuclear mais utilizado para fissão nuclear. Ele é um elemento natural, que é encontrado na natureza, mas que ainda assim passa por alguns tratamentos antes de ser utilizado nos reatores.

Urânio. Fonte: Reprodução
Pastilha de Urânio. É dessa forma que são usadas nos reatores. Fonte: Reprodução.

Plutônio, é obtido artificialmente através do Urânio. Também é usado na fabricação de armas nucleares. Um ponto interessante é que ele fornece energia elétrica para sondas e veículos espaciais.

Plutônio. Fonte: Reprodução.

O Brasil produz energia nuclear?

Bom, depois de entender o funcionamento das usinas, as vantagens e desvantagens da energia nuclear, fica um questionamento: o Brasil produz energia nuclear?

A resposta é sim! Ainda que em pequena escala. Atualmente temos duas usinas localizadas em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. São elas Angra 1 e Angra 2, a terceira ainda está em construção.

Angra 1

Sua construção começou em 1972 e as atividades se iniciaram em 1 de janeiro de 1985. Hoje ela gera energia suficiente para abastecer cerca de 9,9 milhões de habitantes.

Angra 2

Essa por outro lado, começou a ser construída em 1976 e só em 1981 que começou a construção do local que o reator ficaria. Devido a alguns problemas de falta de recursos para continuar, a usina só começou a funcionar de fato em 1 de fevereiro de 2001. Por ter um porte maior que a Angra 1, ela é capaz de produzir energia o bastante para o abastecimento de 20,9 milhões de habitantes.

Angra 3

Por fim, como dito anteriormente, essa é a usina que ainda está em fase de construção. Ela começou em 1984 e também em decorrência da falta de investimentos ela teve diversos momentos de parada e retomada das atividades de construção. A previsão é que até 2026 ela comece as suas operações, já concluída.

Usinas Angra-1 e Angra-2. Foto: Rodrigo Soldon/Flick.
Obra da usina de Angra 3 em dezembro de 2014, antes das obras serem paralisadas. Foto: Reprodução.

Concluindo

Finalmente chegamos ao final do artigo, e como ao longo dele te mostrei como funciona uma usina nuclear, os benefícios e malefícios desse tipo de energia bem como o que produzimos aqui no Brasil, tenho uma pergunta pra te fazer, você acha que o uso da energia nuclear é uma boa alternativa?

Compartilhe seu comentário, e qualquer dúvida entre em contato conosco. Aproveite e dê uma olhada nos nossos outros conteúdos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *