Pré-Sal: o que é, como exploramos e a realidade no Brasil

Você já ouviu falar no pré-sal? Sabe como é explorado? Será que existe depósitos aqui no Brasil?

Bom, continua comigo nesse artigo e vem sanar suas dúvidas!    

O que é o Pré-Sal?

De forma bem resumida, o pré-sal é um “depósito” de petróleo e gás natural localizado em águas profundas: mais de sete mil metros abaixo do nível do mar, antes da camada de sal, por isso recebe este nome. Impressionante, não é mesmo?!

Mas, antes de continuarmos falando sobre o pré-sal, eu te convido a ler um artigo sobre o Petróleo no Brasil, tenho certeza que será bastante enriquecedor também. Mas, voltando a falar sobre o pré-sal…

Além disso, o pré-sal é uma sequência de rochas sedimentares formadas há mais de 100 milhões de anos, localizada no espaço geográfico criado pela separação do antigo continente “Gondwana”.

Provavelmente você já deve ter escutado sobre isso em alguma aula de geografia do ensino médio, talvez com outra nomenclatura: a separação dos atuais continentes Americano e Africano.

Figura 1: Imagem ilustrativa das camadas abaixo do oceano. Fonte: Reprodução.

Essa separação começou há cerca de 150 milhões de anos, sofrida entre os dois continentes formando, inicialmente, grandes depressões, que deram origem aos grandes lagos. Ali foram depositadas, ao longo de milhões de anos, as rochas geradoras de petróleo do pré-sal.

Diante da gravidade, todos os rios dos continentes que se separavam escoaram para as regiões mais baixas, assim um grande volume de matéria orgânica foi depositado ali. À medida que os continentes se distanciavam, esses materiais orgânicos, que então foram acumulados nesse novo espaço, foram sendo cobertos pelas águas do Oceano Atlântico, que estava se formando.

Nesse sentido, foi dado o início da formação de uma camada de sal, a qual, nos dias atuais, chega a 2 mil metros de espessura, o que dificulta bastante sua exploração. Essa camada de sal foi depositada sobre aquela matéria orgânica acumulada, até que processos termoquímicos transformaram a camada orgânica em hidrocarbonetos, ou seja, o petróleo e o gás natural.

As temperaturas dos locais onde se encontra essa reserva petrolífera são muito altas, entre 80º C e 100º C. Ou seja, área de alta pressão e temperaturas, diante disso as composições das rochas acabam alterando-se, o que demanda uso de tecnologias avançadas.

A grande descoberta

“As descobertas no pré-sal estão entre as mais importantes em todo o mundo nos últimos anos”. Esta frase está estampada na primeira página do site, sobre o Pré-Sal, da Petrobras,

Nesse sentido, a reserva é composta por grandes acumulações de óleo leve, considerado de excelente qualidade e com alto valor comercial. Isso nos coloca em uma posição estratégica, principalmente ao se falar da grande demanda de energia mundial.

Para descobrir essas reservas e operar com eficiência em águas ultra profundas, foi necessário desenvolver tecnologia própria. Atuaram em parceria com fornecedores, universidades e centros de pesquisa. Contrataram sondas de perfuração, plataformas de produção, navios e submarinos. Consegue imaginar quantos recursos foram mobilizados para tornar isso possível? Movimentaram toda a cadeia da indústria de energia.

A realidade no Brasil

A reserva brasileira localiza-se em uma faixa litorânea de aproximadamente 800 quilômetros de extensão, em torno dos estados do Espírito Santo e Santa Catarina.

O petróleo encontrado nessa região é de alta qualidade e localiza-se numa área de três bacias sedimentares:

1. Bacia de Santos

2. Bacia de Campos

3. Bacia do Espírito Santo

Quem descobriu o pré-sal no Brasil?

Por volta dos anos 2000, em 2006 especificamente, foi anunciado sua existência: um grande campo petrolífero armazenado abaixo de uma espessa camada de sal.

Veja bem, a descoberta foi fruto do processo de cooperação entre a Petrobras e empresas estrangeiras que visavam exploração de petróleo.

Figura 2: Imagem da fachada de um dos prédios da Petrobras. Fonte: Reprodução.

Ao longo dos anos, a estatal desenvolveu tecnologias que pudessem garantir a autossuficiência do Brasil em relação às reservas de petróleo, visto que o Brasil, historicamente, sempre dependeu da importação do óleo.

Assim, as pesquisas saíram dos campos terrestres e migraram para águas profundas. A chamada offshore, temos um artigo explicando melhor sobre essa exploração, vale a pena ler: Conheça um pouco sobre a exploração de petróleo no mar.

Se pararmos para conversar sobre a economia da época em que o pré-sal foi descoberto no Brasil, vamos observar que nosso contexto socioeconômico apontava uma relevante expansão econômica brasileira, somada ao aumento da demanda mundial de petróleo.

No entanto, nos anos seguintes, mais especificamente no ano de 2010, aPetrobras iniciou, de fato, o processo de extração de petróleo no campo Jubarte, localizado na Bacia de Campos, no Espírito Santo, dando início a uma nova perspectiva para a economia brasileira.

Acompanhe alguns dados fornecidos pela própria estatal:

– A produção de petróleo, cresceu de 2010 para 2016 o total de 24,3 vezes, alcançando a marca de 1 milhão de barris produzidos por dia;

– Já em maio de 2018, a Petrobras anunciou que a produção de petróleo atingiu a marca de 2,07 milhões de barris por dia. Ou seja, uma produção 48,8 vezes maior que a referente a 2010;

– São ao todo 52 poços sendo perfurados em um período cada vez menor, isso graças ao avanço em tecnologias e projetos.

Como funciona a exploração do pré-sal?

Agora que sabemos sobre o que o pré-sal e quais encontramos no Brasil, agora falaremos sobre como ele é explorado. Continua comigo!

Então, segundo o Ministério de Minas e Energia é a Bacia de Santos e a Bacia do Espírito Santo que encontramos os principais campos, a exemplo do Tupi, conhecido como campo de Lula.

Na região em que se estendem as Bacias de Santos e de Espírito Santo, a Petrobras perfurou 31 poços, sendo a Bacia de Santos a que detém os poços mais produtivos. Dos dez poços com melhor vazão diária, nove encontram-se nessa área.

Figura 3: Plataforma de exploração de petróleo na Bacia de Campos. Fonte: Reprodução.

Segundo o diretor da Empresa de Pesquisa Energéticas, José Mauro Ferreira, até o ano de 2026, o Brasil tem poder produtivo para se tornar um dos cinco maiores exportadores de petróleo do mundo. Muito promissor, não acha?

Qual nossa situação atual do pré-sal no Brasil?

A demanda petrolífera é uma das principais causas de conflitos e guerras no mundo, você já deve ter ouvido falar sobre isso.

Fica mais fácil pensar em dois grandes polos: de um lado os países que produzem petróleo e possuem as grandes reservas, e do outro lado estão os países que consomem, mas que possuem pouca ou nenhuma reserva.

O curioso é observar que os países com grandes reservas normalmente têm mercado reduzido, tecnologias limitadas e pouco capital, como países do Oriente Médio. Já os países com reservas pequenas, na sua grande maioria, contam com grandes mercados, bastante capital e tecnologias avançadas e têm necessidade de comprar petróleo de grandes produtores.

Dito isso, a descoberta do pré-sal no Brasil nos colocou em uma posição de privilegio, pois atraiu uma maior visibilidade do mercado investidor. A exploração significou um novo rumo de desenvolvimento para o Brasil.

Essa atividade estimulou os investimentos por parte de empresas nacionais e estrangeiras, assim impulsionando a produção de tecnologia, promovendo maior capacitação profissional e gerando oportunidades de emprego.

Graças a esse interesse, que representa grandes investimentos na economia do país, o governo estipulou três regimes, por meio de contratos, para exploração do petróleo:

Concessão: garante direitos exclusivos para a produção, exploração e venda do petróleo em um determinado período.

Partilha de produção: a União detém o petróleo e negocia a distribuição dos lucros entre os investidores.

Cessão onerosa: o Estado dá à Petrobras o direito de exploração do petróleo em algumas áreas.

A ideia foi que por meio do regime de partilha de produção, o Brasil conseguisse maior controle da exploração do petróleo e, assim, obter maior vantagem econômica e estratégica.

Um dos grandes exemplos do interesse em investimentos mundiais são os leilões que ocorrem nas áreas do pré-sal no Brasil.

Enfim, espero que você tenha conseguido esclarecer suas dúvidas, se por acaso ainda ficou com alguma, basta entrar em contato conosco, que tentaremos sanar ela!

3 comentários em “Pré-Sal: o que é, como exploramos e a realidade no Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *