Aproveitamento de rejeitos na mineração

Antes de tudo, como é de conhecimento da maioria das pessoas, a mineração gera uma quantidade significativa de rejeitos, e geralmente esses resíduos são depositados em barragens. Além disso, essas barragens de rejeitos podem provocar tragédias, como já ocorreram em várias minerações.

Nesse sentido, depois de ter feito uma pequena introdução, eu te pergunto: você sabe o que são rejeitos de minérios? Será que esses rejeitos que são depositados em barragens poderiam ser aproveitados? Será que no Brasil existe tecnologia necessária para podermos fazer o reaproveitamento desses rejeitos?

Ficou curioso para saber as respostas, não é? Continua aqui comigo que nós vamos descobrir essas e várias outras respostas!

O que são rejeitos de mineração?

Então, rejeito de mineração é o material que sobra quando se usa água para separar o minério que deseja ser lavrado do material que não tem valor comercial.Esse método de separação é o jeito mais barato de fazer o beneficiamento.

Quais métodos de reaproveitamento já existem?

Processos de aproveitamento – São propostas rotas para o processo de aproveitamento do rejeito integralmente como elemento de composição de materiais estruturais e a separação dos componentes para destinação de acordo com a sua aplicabilidade. Além disso o potencial do reaproveitamento é ainda maior nas barragens mais antigas, “Quanto mais tempo nós caminharmos em direção ao passado, encontraremos menores índices de recuperação de minério e maior quantidade de minério depositado na barragem. Do mesmo modo as camadas mais profundas da barragem são tão ricas quanto as jazidas que temos hoje”, explica o coordenador do laboratório, professor Ricardo Fiorotti, da Universidade Federal de Ouro Preto.

Startups de reaproveitamento de rejeito

Em primeiro lugar, um dos principais apoiadores do reaproveitamento de rejeito é o Mining Hub, além desse tema, ele conecta os grandes desafios das mineradoras de grande porte com startups que se propõe a conseguir dar uma solução para estes problemas. Dessa forma, algumas startups já foram criadas a partir disso, e elas são:

  • EcoMud: Propondo uma solução de baixo custo, que utiliza lama como matéria-prima para uma pavimentação de alta durabilidade;
  • Element: Com uma solução voltada para o mercado de ferro-silício, a partir do rejeito arenosos da Samarco, a empresa consegue obter um briquete (bloco denso e compacto) de rejeito e aditivos, que pode ser utilizado na fabricação de aços especiais;
  • GMTech: A GMTech criou uma argamassa de base geopolimérica que utiliza 50% de rejeito arenoso na composição para poder ser aplicada no reforço e reparo de estruturas na construção civil;
  • Reuse: Já a Reuse focou na área de fundição, tendo um impacto do custo do frete no preço desse material, com o beneficiamento a partir do rejeito arenoso da Samarco, o produto conseguiria se tornar uma alternativa econômica viável, devido a diminuição desse custo, para a indústria local.

Contudo, além dessas quatro startups citadas acima, diversas outras já possuem suas operações voltadas para o reaproveitamento de rejeito e existem também diversos estudos nas várias universidades do país que possuem o objetivo de dar um melhor reaproveitamento para os rejeitos da mineração.

Do mesmo modo, outro teste que foi realizado por pesquisadores da UFMG é o reaproveitamento do resíduo de uma barragem de rejeito da Gerdau, na região de Ouro Preto, sendo testada sua aplicação na construção civil, utilizado numa casa de 48 metros quadrados, sendo a parede, o piso, o teto e até a bancada realizados com esse material em concreto, sendo utilizado também esse rejeito para a argamassa.

Além disso, para a construção da casa, foram utilizadas cerca de 20 toneladas de rejeito, ela possui no total 7 cômodos e tem o objetivo de ser completamente sustentável, tendo um sistema de esgoto ecológico, energia solar e piso do quintal permeável.

Com tudo isso, o reaproveitamento de rejeitos na mineração vem sendo testado para vários usos e diversas tecnologias estão sendo desenvolvidas para que a reutilização desse rejeito seja cada vez mais comum. Desse modo, em Minas Gerais, principal estado minerador do Brasil, os dados do último Inventário de Resíduos da Mineração divulgado no ano passado pelo governo mineiro apontaram que apenas 0,003% do rejeito gerado é reaproveitado. Nesse sentido, outros países mineradores já vivem uma realidade distinta, temos como exemplo, a China, que tem como meta de governo alcançar o índice de 22% de aproveitamento de todo o seu rejeito mineral até 2022.

Aplicações mais comuns de resíduos da mineração

Você sabia que a extração do minério de ferro gera dois tipos diferentes de rejeitos? Um resulta das operações de concentração do minério e se apresenta sob a forma de uma polpa que, geralmente, é depositado em barragens. O outro é caracterizado por um material granulado, conhecido como estéril, gerado a partir da limpeza das camadas de acesso ao subsolo para retirada do minério. Dessa forma, dois tipos de rejeitos podem ter utilidade em diversos setores. Afinal o que os diferencia é a forma de aplicação, que pode ser feita com apenas um ou com a mistura dos dois tipos.

Assim também, entre as possibilidades para o reaproveitamento dos rejeitos da mineração estão as relacionadas com a construção civil:

  • No concreto;
  • Na argamassa;
  • Nos blocos, na cerâmica;
  • Em azulejos hidráulicos;
  • Substituindo a brita;
  • Na infraestrutura de rodovias;
  • Na fundação de estrada reforçando as camadas que vão embaixo do asfalto.

Como resultado, o material fino também pode ser empregado na argamassa, neste caso o custo seria apenas a mão de obra e o cimento, e o material que não serve para nenhuma dessas etapas pode ser usado na produção de tintas. 

Além disso, para o uso em revestimento para rodovias, o cálculo é da proporção de 80% de substituição dos materiais naturais por rejeitos de mineração, vislumbrando o índice de 50 MPa (Mega Pascal). Nesse sentido, essa é uma medida de resistência à compressão que, nesse caso, tem a capacidade de suportar até o tráfego pesado de caminhões de grande porte. Como a substituição completa dos insumos pelo rejeito a resistência desceria para 30 MPa ou 40 MPa, valor que é o exigido para as vias urbanas.

Para a produção de revestimentos e para o uso como piso em locais de circulação de pessoas, a proporção seria de três a cinco porções de lama para uma de cimento, de acordo com a função. Por outro lado, no aproveitamento para a produção de ladrilhos hidráulicos, a mesma ordem de grandeza em um produto natural seria usada em um produto com o rejeito de mineração, substituindo a areia e a brita.

Assim, as empresas do setor mineral têm avançado nas ações para a reutilização de rejeitos, estéreis e resíduos da mineração. Desse modo, podemos citar um exemplo que é o projeto-piloto criado pela Vale para transformar os rejeitos em produtos para a construção civil, como blocos de concreto e pisos.

Será que os rompimentos de barragens poderiam ser evitados com o reaproveitamento de minérios?

Bom, como vocês sabem quando uma barragem de rejeitos de mineração se rompe, a tragédia é certa, temos como exemplo a de Mariana que resultou no volume de 43,7 milhões de metros cúbicos de rejeitos despejados e um total de 19 mortes diretas. Então, imagine se esse rejeito fosse aproveitado? Além de ter ajudado na construção civil, evitaria todo desastre ambiental e humano.

1 comentário em “Aproveitamento de rejeitos na mineração

  1. Flavia Responder

    Gostaria de saber como faço pra conseguir materiais de construção civil de rejeito de minério.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *