Conheça as riquezas minerais do Nordeste brasileiro

Você que está lendo esse artigo, pode até não ser um nordestino, mas sabemos que em algum momento da sua vida, você já deve ter ouvido falar sobre o Nordeste brasileiro, seja pelas lindas praias, pela comida, artesanato, festas, ou até mesmo pelas grandes empresas que ficam instaladas nas cidades nordestinas. 

Bom, hoje iremos conversar um pouco sobre as riquezas minerais encontradas no Nordeste e quais são os estados nordestinos que mais tem ocorrências de minerais diferentes. 

O que são minerais? 

Antes de começarmos a falar sobre as riquezas minerais encontradas no Nordeste brasileiro, é importante que você saiba ou relembre o que são os minerais, concorda conosco? 

Para que você entenda de maneira mais aprofundada nós recomendamos fortemente que leia um artigo do nosso blog que traz os conceitos de minerais, minérios e depósito mineral. Mas, para que você tenha uma ideia, resumidamente, os minerais são corpos naturais e sólidos originados de processos inorgânicos. São classificados a partir de sua composição química e organização do sistema cristalino (que vai definir a forma do mineral). 

Então, depois de relembrarmos ou descobrirmos o que é um mineral, vamos conhecer quais são as riquezas encontradas nessa região linda, que é o Nordeste! 

Quais são os minerais mais encontrados no Nordeste? 

Atualmente, Ferro, Magnesita, Talco, Urânio e Ouro são os minerais que possuem a maior incidência de exploração na região. 

Magnesita e Talco: Os principais depósitos brasileiros de Magnesita e Talco encontram-se no sudoeste baiano, mais precisamente na Serra das Éguas, localizada no município de Brumado. Além disso, encontra-se na região a terceira maior mina a céu aberto de Magnesita do planeta, mineral o qual é utilizado para a produção de tijolos refratários e óxido de magnésio.  

Além do mais, com relação ao talco, as minas a céu aberto de Cordeiros, município localizado na Bahia, e Cabeceiras, localizado no Piauí, totalizando uma reserva de cerca de três milhões de toneladas e abastecendo diversos segmentos de industrias como o farmacêutico e o alimentício. 

Imagem 1 Mina de Magnesita. Fonte: Reprodução. 

Urânio: Em Caetité, município localizado no sudoeste da Bahia, está localizado o polo de mineração de urânio (INB Caetité) que possui, aproximadamente 99,1 mil toneladas de urânio. 

Urânio, tipos e isótopos O que é e para que serve?
Imagem 2 Urânio. Fonte: Reprodução.

Em Caetité, também, são realizadas as duas primeiras etapas do ciclo do combustível nuclear: a mineração e o beneficiamento do minério, que resulta no produto chamado concentrado de urânio ou yellowcake. 

Segundo a INB, de 2000 a 2015, produziu-se 3.750 toneladas de concentrado de urânio a partir da extração a céu aberto de uma dessas jazidas – Mina Cachoeira. Atualmente, está em andamento a retomada da produção de urânio com a nova mina – Mina do Engenho, na mesma região. 

Mina de extração de urânio em Caetité, na Bahia
Imagem 3 Mina de urânio. Fonte: BBC. 

Ouro: Com este mineral, o estado destaque é o Maranhão, possuindo depósitos que são aproveitados desde o século XIX, no município de Godofredo Viana, por meio da exploração garimpeira, principalmente na comunidade de Aurizona, que significa “zona do ouro”. 

Em 2010 foi aberta uma mina de ouro na região, consequentemente, atraindo diversas mineradoras para a região, dentre elas a Equinox Gold, a qual afere que, com a implantação de um sistema mecanizado, terá uma produção mensal de cerca de 4 toneladas pelos próximos 7 anos. 

EQUINOX GOLD | Brasil Mineral
Imagem 4 Mina de Ouro da Equinox Gold, Aurizona. Fonte: Brasil Mineral. 

Quais são os estados onde encontramos mais minerais? 

Anteriormente, você conheceu os principais minerais encontrados no Nordeste brasileiro, agora iremos falar sobre os estados mais diversificados em minerais. 

1° estado: Bahia 

A Bahia é um dos estados brasileiros mais promissores no que tange à mineração. Prova disso, é o fato dela ocupar, hoje, a 5ª posição em produção de minerais do país. Dos 417 municípios baianos, 134 possuem um solo propício de onde são extraídos 43 minerais distintos. A imagem abaixo demonstra a diversidade de recursos minerais ao longo do estado. 

Principais recursos minerais da Bahia. Estado promissor em bens minerais no nordeste.
Imagem 5 Principais recursos minerais da Bahia. Fonte: Correio24horas. 

Em suma, os municípios que se destacam são: Itagibá, com produção de níquel; Jaguarari, onde se produz cobre; ouro em Jacobina, além de quartzo e feldspato nas cidades de Castro Alves, Santa Terezinha e Santo Antônio de Jesus. Além disso, o estado é o maior produtor de cromo, magnesita, diatomita e talco. 

Ademais, é o segundo maior produtor de bentonita, grafita e sal gema. Contudo isso, ainda se destaca como um dos principais produtores de pedras preciosas, como esmeralda e ametista. 

Atualmente, a indústria mineral é responsável por aproximadamente 2% do PIB da Bahia, sendo um grande colaborador do desenvolvimento econômico do estado. A fim de atender a demanda rápida dos novos investimentos, o governo investe em infraestrutura e verifica as condições do desenvolvimento sustentável, para que as empresas não causem danos à natureza e à população. 

2° lugar: Piauí 

O Piauí é o segundo estado do Nordeste em incidência de minérios, segundo números da representação estadual do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), órgão do Ministério das Minas e Energia, responsável pela concessão de autorizações para pesquisas e de outorgas para lavras de jazidas minerais no Brasil.  

Existem hoje no estado cerca de 3,5 mil títulos concedidos para pesquisas dos mais diversos minerais, entre eles: ferro, diamantes, calcário, níquel, opala e argila. 

A reserva de ferro na região de Paulistana, por exemplo, é estimada em 400 milhões de toneladas e as pesquisas para o início de sua exploração estão em fase adiantadas. A empresa que possui o direito sobre a área já solicitou ao DNPM nova autorização para aprofundar as pesquisas de dimensionamento de jazida, um dos últimos passos para o começo da exploração efetiva. 

Outra grande reserva é a de níquel, no município de Capitão Gervásio Oliveira. Explorada em fase experimental pela Companhia Vale do Rio Doce (Vale), uma das maiores mineradoras do mundo, a mina do Morro do Brejo, com quatro quilômetros de extensão, dois quilômetros de largura e 120 metros de altura, possui uma jazida avaliada em 25 milhões de toneladas de níquel. Somente em pesquisas e na instalação de uma usina piloto, estão sendo investido cerca de US$ 50 milhões. 

Ademais, existe também a exploração de diamantes na região de Gilbués, no extremo sul do Piauí, onde existe uma jazida estimada em dois milhões de quilates, já sendo explorada de forma industrial. O diamante do Piauí é puro e tem certificação do próprio DNPM e de Kimberley, órgão criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) para atestar diamantes quanto à sua origem e legalidade. 

Enfim, chegamos ao final desse artigo, espero que ao longo dele você tenha percebido a importância da região nordeste do país na produção de bens minerais, assim como, a sua potencialidade de novas descobertas. A riqueza do nordeste brasileiro está além das suas belas paisagens, e assim, um lugar que merece um olhar atento em vários âmbitos, inclusive, o de detentor de um grande potencial mineral! 


Ademais, se ficou alguma dúvida, basta entrar em contato conosco por meio das nossas redes sociais. Até logo! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *