Saiba o que são falhas geológicas

Você sabe o que são falhas geológicas? Sabia que sua ocorrência está associada a terremotos?

Acompanhe-nos neste artigo e saiba mais sobre falhas geológicas, seus tipos e implicações na nossa vida.

O que é uma falha geológica?

Uma falha, em geologia, é uma fratura plana ou suavemente curvada nas rochas da crosta terrestre, onde forças de compressão ou tensão causam deslocamento relativo das rochas nos lados opostos da fratura.

As falhas variam em comprimento de alguns centímetros a muitas centenas de quilômetros, e o deslocamento, da mesma forma, pode variar de menos de um centímetro a várias centenas de quilômetros ao longo da superfície da fratura. Em alguns casos, o movimento é distribuído por uma zona de falha composta por muitas falhas individuais que ocupam um cinturão de centenas de metros de largura.

A distribuição geográfica das falhas varia; algumas grandes áreas quase não têm, outras são cortadas por inúmeras falhas.

O acúmulo de energia pelo movimento dos blocos de rocha nas falhas e uma eventual liberação desta em zonas de falhas tectônicas é um dos principais fatores responsáveis pela ocorrência dos terremotos.

Tipos de falhas

As falhas podem ser verticais, horizontais ou inclinadas em qualquer ângulo. Embora o ângulo de inclinação de um plano de falha específico tenda a ser relativamente uniforme, ele pode diferir consideravelmente ao longo de seu comprimento de lugar para lugar. Quando as rochas deslizam umas sobre as outras na falha, o bloco superior ou sobrejacente ao longo do plano da falha é chamado de capa ou teto; enquanto o bloco abaixo do plano de falha é chamado de muro ou lapa.

  • Falha normal

É uma falha de deslizamento em que o bloco acima da falha se moveu para baixo em relação ao bloco abaixo.

Falha Normal. Fonte: Reprodução.

Falhas normais criam espaço. Essas falhas podem parecer grandes trincheiras ou pequenas rachaduras na superfície da Terra. A escarpa da falha pode ser visível nessas falhas, pois a capa desliza abaixo da lapa.

Se você estiver olhando para uma montanha que fica em uma falha normal, verá que a capa “mergulhou e escorregou” abaixo do nível da parede. Isso dá à montanha uma aparência inclinada. Em uma área plana, uma falha normal parece um degrau ou uma rocha deslocada.

Alguns exemplos de falhas normais são a Falha de Sierra Nevada e a Falha de Moab na América do Norte.

Montanha de pedras

Descrição gerada automaticamente

Falha Normal. Fonte: Reprodução.

Este tipo de falha ocorre em resposta à extensão e é frequentemente observado na Bacia Ocidental dos Estados Unidos e ao longo dos sistemas de dorsais oceânicas.

  • Falha reversa

É uma falha de deslizamento em que o bloco superior, acima do plano de falha, se move para cima e sobre o bloco inferior.

Desenho animado para crianças

Descrição gerada automaticamente com confiança média

Falha reversa. Fonte: Reprodução.

Falhas reversas parecem duas rochas ou montanhas que foram empurradas juntas. Ao contrário das falhas normais, as falhas reversas não criam espaço.

Este tipo de falha é comum em áreas de compressão, como regiões onde uma placa está sendo subduzida sob outra, como no Japão. 

Existem exemplos de falhas reversas em vários continentes ao redor do mundo. Eles são mais comuns na base de grandes cadeias de montanhas como a falha de San Ramón, na base das montanhas andinas no Chile.

  • Falha transcorrente ou transformante

Ao contrário das falhas de deslizamento que se movem verticalmente, na falha transcorrente, os blocos de rocha se movem lateralmente. Uma falha que se move para a esquerda é chamada de falha transcorrente sinistral, e uma falha que se move para a direita é uma falha transcorrente dextral. As falhas de deslizamento incluem linhas de falha transformantes (que terminam em outro limite de placa) e transcorrentes (que terminam antes de atingir outro limite de placa).

Desenho de personagem de desenho animado

Descrição gerada automaticamente com confiança média

Falha transcorrente. Fonte: Reprodução.

Muitas falhas de deslizamento são encontradas no fundo do oceano. Mas se você estiver olhando para uma falha de deslizamento, pode parecer que a terra de ambos os lados se moveu em direções opostas. Esse movimento pode causar deslocamento de rios, vales paralelos e extremidades abruptas de cadeias montanhosas.

O exemplo mais famoso de falha transcorrente é a falha de San Andreas. A falha de San Andreas, de 1.300 quilômetros, se estende pela maior parte da Califórnia e divide as placas tectônicas do Pacífico e da América do Norte. É responsável por vários sistemas de falhas menores no oeste dos Estados Unidos.

Vista aérea de uma cidade

Descrição gerada automaticamente

 Falha de San Andreas. Fonte: Reprodução.

Implicações das falhas geológicas na vida humana

Uma vez que as falhas estão sujeitas a mudanças frequentes no comportamento mecânico do solo e dos maciços rochosos, muitas vezes é aconselhável que estruturas críticas como barragens, usinas, hospitais e escolas não sejam construídas ao longo das falhas, para evitar maior risco de morte e destruição ao longo dessas regiões em tempos de emergências de desastres naturais, como terremotos e tsunamis. Os geólogos continuam a estudar as linhas de falha da Terra para estimar a atividade do solo nessas áreas, a fim de obter mais informações sobre as possibilidades futuras de terremotos em regiões ao redor das linhas de falha.


Gostou do artigo? Tem dúvidas? Entra em contato com a gente! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *