Os tipos de barragens e suas aplicações

Uma barragem é uma barreira que interrompe ou restringe o fluxo de águas superficiais ou córregos subterrâneos. Os reservatórios criados por barragens podem ser usados para fornecer água para atividades como irrigação, consumo humano, uso industrial, aquicultura e navegabilidade. 

As barragens geralmente servem ao propósito principal de reter a água, mas também podem ser utilizadas para a contenção de rejeitos na mineração.

Neste artigo vamos apresentar alguns dos principais tipos de barragens.

Barragens de Terra

Desde a antiguidade, barragens de terra foram feitas para o armazenamento de água e para os mais diversos usos, como consumo humano e irrigação.

Estrada de terra

Descrição gerada automaticamente

Barragem de Terra. Fonte: Reprodução.

A barragem de terra pode ser apoiada em diferentes tipos de fundações e seus tipos são divididos em dois, de acordo com o material que a estrutura: Homogêneo ou Zonado.

O tipo homogêneo é composto por apenas um tipo de material, diferindo-se dos taludes, cujo processo de construção costuma demandar uma variedade maior de materiais. (Caso queira saber mais sobre taludes, nós da Cristal preparamos um artigo sobre o assunto)

Nas barragens homogêneas, é necessário que o material utilizado seja impermeável.

O tipo zonado possui um núcleo feito por um material impermeável, porém as demais camadas, com função de suportar o núcleo, são mais permeáveis.

A inclinação dos taludes em uma barragem de terra deve ser suave, para que haja mais estabilidade.

Barragens de Concreto

O concreto é um material amplamente utilizado na construção civil atualmente e isto também se aplica na construção de barragens.

Barragens de concreto são construídas em sua maioria em vales, pois apesar da sua resistência, o concreto apresenta algumas limitações quanto ao comprimento da barragem.

Barragem em arco

São barragens feitas de concreto e com forma de arco ao longo do seu comprimento.

Não é comum a construção de barragens deste tipo, pois o seu comprimento não deve ser muito grande em relação a sua altura, uma vez que isso exigiria um vale mais profundo e encostas com material rochoso resistente que suportasse a construção.

Montanha com pedras

Descrição gerada automaticamente

 Hoover Dam. Fonte: Reprodução. 

Um exemplo famoso de uma barragem em arco é a Hoover Dam (imagem acima), que represa as águas do rio Colorado nos EUA.

Barragem contraforte

Sua estrutura é constituída por laje de concreto e sustentada por contrafortes responsáveis por receber as tensões provenientes do acúmulo da água sobre a laje. Esse é um tipo de barragem que necessita de grande preparo da fundação. Em alguns casos, emprega-se o uso de tirantes e até injeção de calda de cimento, sempre mantendo o controle geológico.

Barragem de gravidade

Barragens de gravidade são mais resistentes e possuem um custo maior de construção em relação às barragens de terra e de enrocamento, porém com um menor custo de manutenção. Geralmente estas barragens são construídas onde o espaço é restrito. 

Ela pode ser uma parede maciça ou oca constituída de concreto. Sua resistência está na parede que a cria em relação ao empurrão horizontal da água, transmitindo tensão à fundação.

Barragem de enrocamento

São barragens destinadas geralmente para o armazenamento de água, sendo constituída por enrocamentos (maciços compostos por blocos de rochas compactadas).

Barragens de Rejeitos

A barragem de rejeitos é bastante utilizada na mineração para armazenar os materiais que não foram aproveitados durante o processo de beneficiamento.

As barragens podem ser constituídas por diversos materiais, como terra, enrocamento e rejeitos. 

Vista aérea de local com água

Descrição gerada automaticamente

Barragem de Rejeitos. Fonte: Reprodução. 

As barragens de rejeitos podem ser divididas em três tipos: barragem de alteamento a montante, barragem de alteamento a jusante e barragem de linha de centro.

  • Barragem de alteamento a montante

É o método mais barato. Nesse tipo de barragem, os rejeitos são depositados nela mesma para a construção dos degraus.

Esse tipo de barragem utiliza uma quantidade menor de materiais na sua construção, por isso tem um custo reduzido. Entretanto, este tipo de barragem tem uma menor estabilidade em comparação à barragem de alteamento a jusante e de linha de centro, podendo ser mais suscetível a acidentes, como no caso do rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho.

  • Barragem de alteamento a jusante

Neste método, a barragem cresce sobre ela mesma, com os alteamentos sendo feitos subsequentes ao degrau inicial da barragem, seguindo a direção em que a água corre. Cada um desses alteamentos é feito de forma independente à disposição dos rejeitos, o que a torna estruturalmente estável.

Este tipo de barragem utiliza mais materiais e mais espaço, o que a torna mais custosa, porém é o método mais seguro.

  • Barragem de linha de centro

É intermediária em termos de custo e segurança em relação às demais.

Este método tem a disposição é semelhante ao método a montante. No entanto, os degraus têm o caimento para fora, o que torna mais seguro que o método a montante, porém ainda menos segura que o modelo a jusante.

Como evitar acidentes?

Existe uma série de medidas que podem ser tomadas para evitar acidentes, um acidente em uma barragem de rejeitos pode ter resultados catastróficos, com grandes impactos ambientais, sociais e econômicos. 

Desta forma, nós da Cristal preparamos um artigo sobre assunto, caso queria se aprofundar mais.


Gostou de conhecer mais um pouco sobre os diferentes tipos de barragens? Espero que sim! Caso tenha tido alguma dúvida ou queira conversar conosco, pode entrar em contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *