Mercúrio: o que é, como é usado e quais são os riscos

O Mercúrio está presente na mineração e em nosso dia a dia, entretanto, você sabia que o contato de maneira errada com esse metal pode trazer riscos para a saúde do ser humano, dos animais e danos no meio ambiente?

Agora, se quer saber outras curiosidades sobre o mercúrio, continue lendo esse artigo até o final!

O que é mercúrio?

Antes de mais nada, vamos conhecer um pouco melhor sobre esse metal que será o protagonista do nosso artigo.

Bom, o mercúrio é um metal líquido e inodoro à temperatura ambiente, e é conhecido desde os tempos da Grécia Antiga.

Além disso, o mercúrio não é um bom condutor de calor comparado a outros metais, entretanto é um bom condutor de eletricidade. É insolúvel em água e solúvel em ácido nítrico, quando a sua temperatura é aumentada transforma-se em vapores tóxicos e corrosivos mais densos que o ar.

Ademais, o mercúrio é classificado com uma substância perigosa, por isso seu uso deve ter muito cuidado, pois causa riscos a saúde, mas isso é assunto para abordamos em outro tópico.

Falando um pouco sobre história agora, o nome mercúrio é em homenagem ao deus romano Mercúrio, que era o mensageiro dos deuses, essa homenagem é devida à fluidez do metal. Interessante não acha?

Onde encontramos o mercúrio?

Já sabemos o conceito de mercúrio, agora vamos saber onde ele é encontrado na natureza.

Em primeiro lugar, é bom saber que o mercúrio é encontrado em vários tipos de minerais e nas erupções vulcânicas, e são depositados nos oceanos. As emissões e liberações antropogênicas (causados pelos homens) estão relacionadas com os vários processos produtivos que utilizam mercúrio em qualquer de suas formas.

Valores do relatório global de avaliação de emissões, considerando-se fontes antropogênicas e geocênicas, publicados pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) em 2013. http://www.unpe.org/PDF/PressRelease/GlobalMercury/Assessment2013.pdf

E por fim, o mercúrio é um metal pesado que, sob condições normais, é encontrado em baixas concentrações no ambiente, sendo naturalmente liberado devido a processos erosivos e erupções vulcânicas.

Como ele é explorado?

Como algumas pessoas sabem, no Brasil não temos uma produção primária de mercúrio, o que nos leva a importação do mesmo. Por conta disso, o país o importa principalmente dos Estados Unidos e da Espanha.

Quais são as formas que o mercúrio se apresenta?

A seguir, temos as 3 principais formas que o mercúrio se apresenta:

1° Mercúrio elementar, ou metálico (Hgº): a maior parte das emissões atmosféricas de mercúrio ocorre na forma de mercúrio metálico, ou elementar. Essa forma do metal é bastante estável, o que permite que seja transportado por longas distâncias e permaneça no ambiente por um longo período.

O mercúrio elementar se liga a outros elementos, originando outras duas formas de mercúrio: os compostos orgânicos e os inorgânicos.

2° Metilmercúrio [CHHg] (composto orgânico): o metilmercúrio é apenas um dos representantes de compostos orgânicos de mercúrio, no entanto, é considerado o mais importante devido à sua alta toxicidade para o organismo humano.

Ele é produzido a partir do mercúrio elementar, onde é sintetizado por bactérias presentes em ambientes aquáticos como resultado do processo de detoxificação. Neste processo, o mercúrio (Hg) se liga a um grupo metila (um carbono ligado à três hidrogênios – CH₃).

O metilmercúrio é então incorporado ao ecossistema aquático e vai se acumulando no tecido dos organismos aquáticos, de forma que, quanto mais alta for a posição do organismo na cadeia alimentar, maior será a concentração de metilmercúrio em seu organismo.

Portanto, ao consumir peixes que ocupam o topo da cadeia alimentar (salmão, atum, truta e outros), o indivíduo está possivelmente ingerindo um alimento contaminado por metilmercúrio, e como consequência, intoxicando-se. Por isso, cuidado na hora que for ingerir algum peixe, está bem?

3° Mercúrio inorgânico: o mercúrio inorgânico é representado por um conjunto de sais minerais e compostos. Estes são formados pela ligação do mercúrio com elementos como o enxofre e o oxigênio.

Qual a importância do mercúrio na mineração?

Você sabe onde usamos o mercúrio na mineração?

Mineradores usam mercúrio no garimpo para identificar o ouro (Foto: Thinkstock/Getty Images)

Então, mercúrio é utilizado no processo de garimpagem, em sua forma líquida para atrair o ouro diluído em um determinado solo, formando uma liga entre as substâncias.

Giorgio de Tomi, diretor do Núcleo de Pesquisa para a Pequena Mineração Responsável da Universidade de São Paulo, explica que quando esse concentrado é queimado, o mercúrio evapora deixando apenas o ouro em seu estado bruto.

A contaminação com a substância pode ocorrer de forma direta, por inalação, ou indireta após sua precipitação no solo. “A combinação do mercúrio precipitado com compostos orgânicos do solo forma a substância metilmercúrio, altamente danosa”, esclarece Tomi.

No caso da mineração de ouro, só é permitido o uso de mercúrio metálico mediante licenciamento ambiental pelo órgão competente, conforme estabelece o Decreto 97.507, de 13 de fevereiro de 1989.

Todos os que utilizem a substância para a consecução de suas atividades devem estar cadastrados no  Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras e/ou Utilizadoras de Recursos Ambientais (CTF/APP), onde devem informar compra, venda, produção e importação da substância, em consonância com a Instrução Normativa Ibama nº 8, de 8 de maio de 2015.

Homem exibe uma bolota de mercúrio. Companheiro e veneno do dia a dia do garimpo. Foto: Victor Moriyama.

Quais países mais produzem mercúrio?

Sabemos que o Brasil não entrará nessa lista que iremos lhe apresentar, pois como já foi dito anteriormente, nosso país não tem reservas desse metal, e consequentemente, precisamos importar.

Então vamos lá, a seguir apresentaremos os 5 países que mais produziram mercúrio no ano de 2019:

1° China: produziu 3.600 toneladas;

2° Tajiquistão: produziu 100 toneladas;

3° México: produziu 63 toneladas;

4° Argentina: produziu 50 toneladas;

5° Peru: produziu 40 toneladas;

Onde usamos mercúrio no nosso dia?

Nós já lhe explicamos o que é mercúrio, porque ele é usado na mineração, entretanto, você sabe que existe objetos que usamos no nosso dia a dia que contém mercúrio, mesmo que seja em baixa quantidade?

A seguir, você conhecerá

quais são esses objetos:

Eletroeletrônica: lâmpadas fluorescentes e de vapor de mercúrio, pilhas, baterias e componentes elétricos;

Lâmpada fluorescente. Fonte: Reprodução

Metrologia: barômetros, higrômetros, termômetros e manômetros;

Barômetro. Fonte: Reprodução

Medicina: esfigmomanômetros, termômetros, amálgamas dentárias e conservantes de vacinas (timerosal);

Esfigmomanômetros Fonte: Reprodução

Agricultura: agrotóxicos;

Indústrias: petroquímica, Cloro-Soda, Bélica, Papeleira e Farmacêutica.

Atividades: extração de primária de mercúrio, Mineração de ouro e Geração de Energia (queima de combustíveis fósseis).

Conheça os riscos que o mercúrio causa ao corpo humano e os sintomas de intoxicação

Geralmente quem foi intoxicado pelo vapor do mercúrio pode apresentar sintomas como dor de estômago, diarreia, tremores, depressão, ansiedade, gosto de metal na boca, falha de memória, mudanças de humor, dentre outras coisas.

No sistema nervoso, o produto tem efeitos desastrosos, podendo dar causa a lesões leves e até à vida vegetativa ou à morte, conforme a concentração. Por isso, é de extrema importância que tenha cuidado com esse metal.

Como fazer o descarte correto do mercúrio?

Como foi dito acima, o mercúrio é super tóxico, por conta disso, é preciso fazer o descarte corretamente.

Dessa maneira, uma medida que visa reduzir este problema é a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), sancionada em 2010, que, dentre muitos pontos, define a obrigatoriedade dos fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de pilhas, baterias, lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio, de mercúrio e de luz mista, também de produtos eletroeletrônicos e seus componentes em estruturar e implementar sistemas de logística reversa, mediante o retorno dos produtos após o uso pelo consumidor, que vão além do serviço público de limpeza urbana e do manejo de resíduos sólidos.

No entanto, cabe ao consumidor colaborar com o processo. O Ministério do Meio Ambiente apresenta em seu relatório, dados da ANEEL que afirmam que somente 2% dos brasileiros entregam os aparelhos eletroeletrônicos para reciclagem.

Por fim, importante salientar novamente o perigo que o mercúrio causa a vida humana, mas em contraposição, ele é de extrema importância para os cuidados com a saúde, então, tome todo cuidado, e se proteja!


Nos despedimos aqui, esperamos que você tenha aproveitado e gostado do artigo, se por acaso ficou alguma dúvida, basta entrar em contato conosco através das nossas redes sociais

1 comentário em “Mercúrio: o que é, como é usado e quais são os riscos

  1. CESAR MENDONÇA FERREIRA Responder

    Existe uma ocorrência do mineral cinábrio (enxofre e mercúrio, HgS) no município Mariana, MG e duas no município de Ouro Preto, MG. Em contato com o ar, ocorre a oxidação enxofre contido no cinábrio liberando mercúrio metálico.
    Eu sou formado em Engenharia Geológica pela UFOP-Universidade Federal de Ouro Preto e lecionei no DEGEP-UFOP por quarenta e três anos. Durante este período realizei vários trabalhos de campo com os alunos. Durante estes trabalhos encontrei o cinábrio no córrego do Canela que está hoje na área urbana de Mariana e, no município de Ouro Preto, na nascente do córrego do Falcão na nascente do Rio Paraopeba. Durante vários séculos a água destas nascentes foi e é utilizada por pessoas e animais. não há registro de envenenamento relacionado com mercúrio metálico, porque mercúrio metálico não é tóxico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *