Mineração X meio ambiente: desafios de um desenvolvimento sustentável

A mineração está presente na vida de todos desde a Pré-História, onde pedras eram usadas para o desenvolvimento de utensílios e armas, está intrínseca à evolução da sociedade. Ao longo do tempo o ser humano vem evoluindo, assim como a mineração e as suas formas de extração e intensidade do processo.

Caso você seja do setor mineral é bem provável que você já tenha ouvido falar dos grandes dilemas que envolvem a relação conflituosa entre mineração e o meio ambiente, até mesmo você que não trabalha ou tem envolvimento com área da mineração já deve ter ouvido notícias relacionados a este tema.

Neste artigo você vai ver os detalhes da relação que envolve a mineração e o meio ambiente, além de saber o que é de fato verídico e os mitos que envolvem esse assunto.

Impactos ambientais causados pela mineração

A mineração, assim como toda forma de exploração de recursos naturais provocará impactos no meio ambiente, tanto durante a fase de exploração quanto na fase de geração de resíduos.

Durante o processo de mineração podemos dividir os principais impactos em cinco categorias: poluição da água, poluição do ar, poluição sonora, subsidência do terreno, incêndios causados pelo carvão e rejeitos radioativos.

Desde o começo de todo processo de exploração mineral podemos notar algum impacto ambiental, estamos falando da prospecção geológica, onde se iniciam trabalhos de amostragens, sondagens e eventuais perfurações, podendo inclusive gerar exposições de afloramentos como consequência.

 Falando especificamente do Brasil, segue abaixo alguns casos dos principais minérios extraídos e o impacto proveniente deles.

1. Carvão – Para os casos a céu aberto, que abrangem grandes áreas, pode ocorrer a poluição nas águas e no ar. A poluição hídrica causada pela drenagem ácida é provavelmente o impacto mais significativo das operações de mineração e beneficiamento de carvão mineral. Causada pela infiltração da água da chuva sobre os rejeitos, que alcançam os corpos hídricos superficiais e/ou subterrâneos.

2. Ouro – Tem-se a presença do elemento tóxico arsênio. Alguns dos maiores desastres relacionados a isso ocorreram em Nova Lima e Passagem de Mariana; as fábricas de óxido do arsênio que era obtido como subproduto do minério foram estocados às margens de riachos ou lançados diretamente nas drenagens, provocando grande comprometimento ambiental do solo e água.

3. Chumbo, Zinco e Prata – As minas de chumbo, zinco e prata do Vale da Ribeira em São Paulo que já não estão mais ativas, encerram suas atividades em 1995. Os materiais resultantes dos processos de metalurgia e refino do minério de chumbo foram estocados nas margens do rio Ribeira e recentemente foram realizados estudos na população infantil, nos municípios de Adrianópolis e Cerro Azul no Paraná e, Ribeira e Iporanga em São Paulo, envolvendo análises de Chumbo total em sangue e arsênio em urina. As concentrações de chumbo no sangue foram superiores aos limites aceitos pelos padrões técnicos.

4. Agregados para Construção Civil – Na extração dos bens minerais empregados direto na construção civil como a areia, argila e brita, os impactos ambientais causados são grandes e descontrolados, como a degradação de ambientes de frágil equilíbrio ecológico, exemplo, dunas e manguezais, alterando canais naturais de rios e os aspectos paisagísticos. Existe também as cavas que em geral são usadas como lixões para o que não tiver uso na construção civil.

As principais consequências da mineração no meio ambiente são:

Um dos primeiros aspectos a ser considerado é a degradação da paisagem, algo presente em praticamente toda forma de extração mineral.

Os ruídos e vibrações também estão presente na maioria das minas e formas de extração, geralmente esses ruídos e vibrações tem relação com o maquinário e o desmonte do maciço rochoso.

O tráfego de veículos pesados para o transporte de minério, causa muito transtornos à comunidade, como: poeira, emissão de ruídos, deterioração do sistema viário da região.

Poeira e gases também são um dos maiores transtornos sofridos pela comunidade local e aos que trabalham diretamente na mineração. Tem origem tanto na perfuração da rocha como nas etapas de beneficiamento e de transporte.

A contaminação das águas é algo muito recorrente e geralmente ocorre poluição por lama; tem a poluição por compostos químicos solúveis, mas esta última é mais restrita.

Fatores de influência que agravam o impacto ambiental:

Quando se inicia a extração de um bem mineral existem alguns fatores que podem ter uma pequena ou grande influência sobre a área de extração. Podemos chamá-los de fatores geográficos.

 Alguns desses fatores geográficos tem relacionamento com à posição do jazimento, são eles:

• Densidade da população

• Topografia

• Clima

• Aspectos sócio-econômicos

Um dos principais fatores que podem impactar ao meio ambiente está ligado a escolha do método de lavra. A escolha do método mais adequado irá depender das características da jazida e de fatores externos.

Na lavra a céu aberto se tem os maiores riscos de comprometimento ambiental, principalmente por ter um maior aproveitamento do corpo mineral e gerar maior quantidade de estéril, além da poeira em suspensão, vibrações e riscos de poluição das águas.

Plano de recuperação de áreas ambientais degradadas

Nem tudo que está envolvido na relação da mineração e do meio ambiente é necessariamente algo negativo e o PRAD está aí para provar isso. O plano de recuperação de área degradadas (PRAD) é o conjunto de métodos, instruções e materiais necessários para a retomada de uma área degradada ao mais próximo possível do seu estado natural. O PRAD é obrigatório para toda mina e deve ser apresentado antes do início do processo de extração. Leia mais sobre o PRAD aqui.

Em áreas lavradas algumas medidas empregadas são a revegetação, retaludamento e instalação de sistemas de drenagem em frente de lavra desativadas.

Em áreas de disposição de resíduos sólidos também se emprega medidas com revegetação de taludes de barragens e depósitos de estéreis ou rejeitos, redimensionamento e reforço de barragens de rejeito, redimensionamento ou construção de extravazores ou vertedouros em barragens de rejeitos, entre outros.

Desafios atuais e futuros

Um bom caminho para estar sempre buscando reduzir cada vez mais os impactos causados são trazidos de diversas formas, com o avanço da sociedade e as tecnologias. A avaliação do desempenho ambiental é uma ferramenta que possibilita um controle empresarial dos resultados ambientais de uma operação e coleta evidências que demonstram esses resultados à comunidade e as demais partes interessadas.

É usado por diversas empresas de grande e médio porte na coleta de dados e divulgação através de relatórios de desempenho.   Outra ferramenta com múltiplas aplicações é a análise de riscos e pode ser usada no planejamento de uma nova mina e na desativação de uma mina existente. A análise de riscos prever a identificação de perigos e de situações críticas que possam acarretar acidentes ou perdas para a empresa, comunidade e meio ambiente.

Um dos desafios mais importantes a se pensar e que não deve ser aplicado somente ao setor mineral é a produção mais limpa. Na mineração, o processo de produção mais limpa vai depender diretamente de pesquisas e avanço da tecnologia. Diferentemente de outros ramos da indústria, onde é o possível um mesmo tipo de solução para muitos processos. Na extração e o processamento de matérias-primas minerais requerem soluções específicas para cada caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *